sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Essa rua não é minha

não sou santa
nem de casa
ando por outras vias
dançando ciranda
e roda
girando noites e dias
na rua que não é minha
os acomodados
que fiquem na sua
que andem na moda
com agulha e linha
costurando bocas
rotas
arrotando normas
ditando regrinhas

outras formas? 
nunca saberão
como é bom usar
roupas sem bainhas

9 comentários:

  1. Eu me divirto lendo seus versos.
    Gosto do seu humor ácido e de como brinca com as palavras.
    Quando teremos um outro recital aqui em são Luis?

    ResponderExcluir
  2. As duas Belas... rs.
    Como já disse um outro poeta, eu escrevo para me vingar! E me divertir um pouquinho, também.
    Recital? Quando tiver te aviso, querida! bjs

    ResponderExcluir
  3. Eita ferro, conterrânea do Ferreira, que farra. Beijão

    ResponderExcluir
  4. Feliz de quem tem o dom de ordenhar palavras...

    ResponderExcluir
  5. ... e de ter bons leitores, como vocês! bjs

    ResponderExcluir